Notícia: Constant, o influenciador do século 19, explica o que é liberalismo

O livro A liberdade dos antigos comparada à dos modernos, publicado no Brasil pela Editora Edipro, do político francês Benjamin Constant, trata do liberalismo político, econômico e social. O discurso, pronunciado no Ateneu Real de Paris, em 1819, é um verdadeiro panfleto da doutrina liberal no mundo, que defende os direitos e a liberdade individual do cidadão.

Benjamin Constant foi um escritor muito influente no fim do século 18 e o início do 19 e, certamente, um dos maiores responsáveis pela consolidação dessa corrente política. 

“Para o nosso autor, a humanidade estaria trilhando o caminho de um processo histórico em direção à igualdade, sobre os destroços das instituições do passado que estabeleciam, afinal, uma divisão social entre dominantes e dominados”, analisa o professor de teoria política da Universidade de São Paulo (USP), Christian Jecov Schallenmüller, que assina o prefácio da obra.

Como herdeiro do Iluminismo, Constant acreditava na ideia de um progresso da humanidade e que os cidadãos da sociedade moderna estariam divididos pelo conflito econômico e social. Porém, como sujeitos políticos, passariam a ser encarados como indivíduos iguais com o mesmo status. Para o político francês, o que moveria a aventura humana na história seria justamente o desejo de alcançar a perfeição. E que a derrubada de privilégios que, historicamente, formalizavam a desigualdade, resultaria em nações cada vez mais complexas e refinadas.

Serviço
Livro: A liberdade dos antigos comparada à dos modernos
Autor: Benjamin Constant
Editora: Edipro
Tradução: Leandro Cardoso Marques da Silva
ISBN: 978-85-521-0078-2
Páginas: 80
Preço médio: R$ 37,00

Comentários