10 de agosto de 2018

Especial Bienal do Livro SP 2018: Poeta lança obra voltada para idosos


O escritor, jornalista, dramaturgo, roteirista, professor e ator Ulisses Tavares – que define todas essas profissões como uma só: operário da palavra -, mais conhecido por seus livros infanto-juvenis (metade de seus 126 títulos publicados), se dedica agora, aos 67 anos, a seu novo projeto: Um livro de/para idosos.
  
Intitulado Engate uma 3ª e Vá Em Frente!, a obra foi publicada pela Editora UTI e está disponível na 25ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo. Confira abaixo o que o autor afirma sobre seu novo livro:

Como surgiu o Engate uma 3ª e vá em frente? 
De meus constantes encontros, aqui e lá fora, com os leitores adolescentes. É impressionante como velhos e jovens são iguais! Exemplos: jovens não usam camisinha porque nasceram pós-aids. Velhos não usam porque viveram pré-aids. Jovens se atiram em busca do prazer a qualquer custo. Velhos também, para tirar o atraso. Jovens são vítimas do mundo virtual porque acham que sabem tudo. Velhos porque não sabem nada. Jovens se endividam porque contam com vovôs e vovós para pagar a conta. Velhos se endividam para pagar a conta dos netos. E por aí vai. Ambos, jovens e velhos, se ferram igualmente no século 21. 

Em suas palestras, o senhor define o envelhecer como uma espécie de reencarnação. 
Não me preocupo muito com a vida após a morte. Mas com a morte em vida. De repente, você acorda velho e pronto. A alma é a mesma mas o corpo e tudo que o cerca é outro. O tesão, a dúvida, a dívida, está tudo igual só que tudo mudou. Dá medo sim. 

E tem como superar esse medo? 
Como budista, acho que a única saída é pensar na alternativa que resta. Pensar na morte. Isso ajuda muito a acalmar a mente, primeiro, e em seguida, realisticamente, tomar decisões de mudanças. Jovens não pensam na morte porque se acham imortais e por isso morrem bem antes do tempo biológico, por susto, bala ou vício. Mas tem muito velho que desperdiça seu dia por absoluta falta de coragem e alienação. Ou, mais frequente, vive em um passado que não volta mais. E fica rabugento e solitário. O jovem foge para dentro do celular. O velho para dentro de sua cachola parada no tempo. Burrice pouca é bobagem. 

O que falta para os mais velhos se integrarem ao mundo de hoje? 
Viverem o hoje, o agora, abdicar das velhas idéias e ideais. A era que vivemos quando jovens já era. O mundo atual não está preparado para a explosão do número de idosos. Só que os idosos, em sua maioria, não percebem sua força mesmo que numérica e se conformam em serem invisíveis, coitadinhos, fim de feira. Se esquecem que a xepa da feira pode render uma sopa bem saborosa e criativa. O corpo, sendo sólido, se fragiliza. O conhecimento, sendo imaterial, se fortalece. Até proponho uma campanha com o slogan: Velhos unidos jamais serão vencidos! 

Por que o senhor classifica seu livro de utilidade pública? 
Utilidade pública é toda informação que é importante para todos os públicos. Por isso, acho que, afora os velhinhos, quem deve ler o livro são os netinhos e netinhas. Para um choque de realidade. Tipo: Seu avô e avó "trepam" e gostam de sexo. Ou: Não transforme o lar de seus avós em depósito do que não cabe em sua casa. E, finalmente, a mensagem sobre um flagelo da sociedade brasileira: não faça filhos para seus avós criarem. Eles já pagaram os pecados criando a tranqueira de seus pais que originaram a tranqueira que é você, jovenzinho ou jovencita sem noção. 

Como foi sua juventude? 
Bem diferente da de hoje, claro. Drogas eram para clarear a mente, não para entorpecer. Fui hippie sem butique.Ser era a meta, não ter. Sexo livre sem selfie. E o principal: aprendemos rapidinhos que mudar o mundo começa em mudar a si mesmo. Ainda dá tempo de fazermos isso de novo, espero.

Serviço 
Livro: Engate uma 3ª e Vá em Frente!
Autor: Ulisses Tavares/Ilustrações de Paulo Caruso
Editora: UTI
Páginas: 156
Ano: 2017
Preço médio: R$ 25,90
E-mail: poetaulisses@terra.com.br 

Nenhum comentário:

Postar um comentário