13 de agosto de 2018

Especial Bienal do Livro SP 2018: 25ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo divulga balanço do evento

25ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo termina com saldo positivo e com otimismo do mercado editorial. Segundo pesquisa realizada pelo evento junto aos visitantes, 97% do público presente ficou satisfeito com o evento e 98% pretende voltar na próxima edição. O ticket médio de gasto por pessoa foi de R$161,57, 33% maior que em 2016. Os principais motivos que levaram os visitantes a comprar livros foram o gosto pela leitura e o tema do livro: 75% dos entrevistados comprou pelo menos 1 exemplar.

Ao longo dos 10 dias, 663 mil pessoas visitaram o evento e participaram de 1500 horas de programação oficial, em 14 espaços culturais, com mais de 300 autores nacionais e internacionais, além de uma extensa relação de atividades dos expositores. Passaram pelo evento também 100 mil alunos e 15 mil escolas agendadas.

Com o conceito Venha fazer esse download de conhecimento, o evento destacou o livro como principal fonte do conhecimento em meio ao turbilhão deestímulos e canais de acesso a conteúdos que a tecnologia hoje proporciona, enfatizando a importância do diálogo e da abertura de perspectivas. Na programação, nomes importantes como: A. J. Finn, de A Mulher na Janela, que em breve ganha as telas do cinema pela Fox Filmes; Victoria Aveyard, autora da série A Rainha Vermelha trouxeram multidões de fãs. 

Outros autores que passaram pela Bienal do Livro movimentaram o pavilhão e deram autógrafos para milhares de leitores, entre eles, Mauricio de Sousa, Ziraldo, Moraes Moreira, Ana Maria Machado, Pedro Bandeira, Eva Furnari, Mario Sérgio Cortella, Luiz Felipe Pondé, Fernanda Montenegro, Carolina Ferraz, Thiago Castanho, Helena Rizzo, Pam Gonçalves, Carol Christo, Babi Dewet, a turma do Casseta & Planeta, Antonio Prata, Miriam Leitão, Djamila Ribeiro, Lázaro Ramos, Marcelo D’Salete e os gêmeos Gabriel Bá e Fábio Moon Soman. 

Pela primeira vez, a Bienal Internacional do Livro de São Paulo contou com inteligência de dados, monitorando em tempo real a percepção dos usuários nas redes sociais, blogs e portais. A partir da análise das menções do público percebeu-se que os principais pontos positivos do evento foram: programação cultural, interação e encontro com autores, apelo visual dos estandes e preços acessíveis.

Este ano, o evento trouxe propostas inéditas que reforçaram seu caráter multicultural, entre elas, o Encontro de fãs, na Arena Cultural BIC®, o novo Papo de Mercado, dedicado a reflexões sobre temas de interesse dos profissionais da cadeia do livro como tendências e futuro do setor, e o Espaço do Saber Microsoft onde os visitantes puderem experimentar tecnologias voltadas para a educação.

Principais números desta edição da Bienal Internacional do Livro de São Paulo:


Nenhum comentário:

Postar um comentário