10 de setembro de 2017

Especial Bienal do Livro Rio: Gustavo Rosseb conversa com fãs e autografa trilogia de Tibor Lobato


Gustavo Rosseb, autor da saga As Aventuras de Tibor Lobato, da editora Jangada, esteve presente na Bienal Internacional do Livro Rio na sexta e no sábado em bate-papo animado com fãs e visitantes da feira e autografando a trilogia. Aqueles que adquiriam os três volumes ganhavam desconto e um pôster.

A obra de Rosseb é considerada pelo jornal Folha de S.Paulo como sendo o "Harry Potter tupiniquim" e já teve até seus direitos comprados para o cinema. O primeiro longa deve aparecer nas telonas em 2019 e Rosseb é o roteirista. "Estou muito ansioso, pois o pessoal têm uma ideia muito boa para o filme. Está meio na parte embrionária ainda, estou trabalhando na terceira versão do roteiro, mas estou muito empolgado. É só esperar", relata o também integrante da banda Capela.

A obra relata as desventuras de Tibor Lobato, que enfrenta, durante a trilogia, seres folclóricos de nosso País. Daí o apelido dado pelo jornal paulistano. "Saí Brasil afora coletando 'causos', aquelas histórias que são passadas de geração em geração, então transformei tudo isso em literatura fantástica. Eu adoro este gênero literário e achava que estava faltando uma 'mãozinha' brasileira também. Há uma mistura de personagens famosos com personagens que não conhecemos mais, que caíram em desuso, como a Pisadeira (senhora com pés compridos que, supostamente, pisa na barriga da pessoa e a faz ter pesadelos - foi daí que surgiu a palavra)", comenta Rosseb, que completa: "Como escrevo muito para cinema é uma leitura fácil, parece que você está lendo um filme."

Na cabeça do autor, muitas partes das histórias de Tibor Lobato "parecem ter sido feitas para videogame. Tenho pensado nisso e vejamos o que acontece daqui em diante". Por fim, sobre estar na Bienal Internacional do Livro Rio, o autor é direto e animador: "Fico muito feliz, pois venho de um cenário independente, hoje estou numa editora. Tinha o sonho de lançar meu livro numa Bienal. Minha primeira vez que fui em um evento desses foi em São Paulo, como autor independente. Saí com minha mochila nas costas entregando flyers pelos corredores. Estar aqui hoje para mim é gratificante, pois é o point, é onde os leitores estão. É o 'check' da minha listinha com chave de ouro."

Nenhum comentário:

Postar um comentário