29 de agosto de 2017

Resenha: A Grande Ilusão - Harlan Coben


*Livro cortesia da editora

Dizem por aí que não se deve julgar um livro pela capa. No caso de A Grande Ilusão, de Harlan Coben, recém-lançado no Brasil pela Editora Arqueiro, a frase de subtítulo, "Você acha que sabe a verdade. A verdade é que você não sabe de nada" é a mais chamativa, pois, de fato, é isso mesmo que esta obra transmite.

Sinopse: Maya Stern é uma ex-piloto de operações especiais que voltou recentemente da guerra. Um dia, ela vê uma imagem impensável capturada pela câmera escondida em sua casa: a filha de 2 anos brincando com Joe, seu falecido marido, brutalmente assassinado duas semanas antes. Tentando manter a sanidade, Maya começa a investigar, mas todas as descobertas só levantam mais dúvidas. Conforme os dias passam, ela percebe que não sabe mais em quem confiar, até que se vê diante da mais importante pergunta: é possível acreditar em tudo o que vemos com os próprios olhos, mesmo quando é algo que desejamos desesperadamente? Para encontrar a resposta, Maya precisará lidar com os segredos profundos e as mentiras de seu passado antes de encarar a inacreditável verdade sobre seu marido – e sobre si mesma.

O enredo do livro é incrível. Desde o primeiro minuto em que a personagem principal, Maya, vê seu marido morto há dias na câmera que ela mesma instalou em sua sala de estar para vigiar sua filhinha e a babá, nos perguntamos o quê, de fato, está se passando. Sendo militar, Maya já tem em seu sangue a prerrogativa de buscar pistas e dar uma de investigadora por conta própria. Tendo que "enfrentar" a poderosa família Burkett, da qual faz parte por meio de seu marido, ela tenta entender em quem pode confiar. Às vezes, parece que nem no melhor amigo dela, Shane, que também é militar, ela pode revelar seus segredos mais obscuros.

"O efeito do spray se revelou bem mais duradouro do que o imaginado e ela, agora, sentia o peito arder de raiva tanto quanto os olhos ardiam com a pimenta. Ficara completamente incapacitada por uns bons dez minutos, vulnerável ao inimigo e, isso, era inaceitável. Assim que a dor começou a ceder, ela recuperou o fôlego, enxaguou os olhos na pia e lavou o rosto com detergente de cozinha, ainda brava consigo mesma."
Capítulo 6 - Página 61

A teia de intrigas e mistério que Coben tece é sensacional, mesmo. As coisas vão tomando tal rumo, que tudo o que pensávamos antes acaba sendo desconstruído, remodelado ou, ao menos, posto em dúvida. A morte de Joe não foi daquele jeito como foi contada? Os Burketts têm algum profundo segredo? E Maya, o que tem a esconder? Ela tem algo a esconder? Enfim, tais questões nos levam a divagar e a nos surpreender bastante no final.

"Os relacionamentos geralmente acabavam mal. Mas as lembranças não. Daquela vez, no entanto, a coisa tinha sido bem diferente. Porque daquela vez ela havia engravidado. Ficou confusa, claro, sem saber o que fazer. Mas para sua grande surpresa Joe não havia fugido da raia. Muito pelo contrário. Pedira-a em casamento com todos os rapapés do cardápio: aliança no dedo, violinos, promessas de amor e felicidade. Dissera que se orgulhava de ter uma mulher militar e faria tudo o que estivesse a seu alcance para que ela obtivesse sucesso em todas as suas ambições profissionais. Eles seriam diferentes dos outros casais, viveriam de acordo com suas próprias regras. Sua paixão se revelara uma grande força motriz naquele estágio do relacionamento. Arrebatara-a e, num piscar de olhos, a capitã Maya Stern se transformara na Sra. Maya Burkett."
Capítulo 18 - Páginas 173 e 174

Quanto à parte gráfica, achei muito boa. A capa não fugiu do padrão Arqueiro/Sextante, em especial nas fontes utilizadas nas capas e no miolo do livro (tradicional nas obras de Dan Brown, por exemplo), o que para mim foi muito bom, pois já estou mais do que acostumado. Porém, alguns poucos erros de revisão foram notas, como a falta de um ponto final, por exemplo, mas foram pouquíssimos. Obviamente, os mesmos não atrapalham em nada a leitura, que é fácil e muito fluida. Para um primeiro contato com as obras de Harlan Coben, não foi nada, mal. Na verdade, foi espetacular.

Serviço
Livro: A Grande Ilusão
Autor: Harlan Coben
Editora: Arqueiro
Ano: 2017
Páginas: 304
Preço Médio: R$ 39,90

Nenhum comentário:

Postar um comentário