27 de junho de 2017

Resenha: Ele Está de Volta - Timur Vermes


Imagine se Adolf Hitler, talvez o ditador e estrategista militar mais sanguinário da história, voltasse em nosso século? Pois é isso que Timur Vermes nos conta nesta hilariante história, chamada Ele Está de Volta, da Editora Intrínseca.

Sinopse: Berlim, 2011. Adolf Hitler acorda num terreno baldio. Vivo. As coisas mudaram: não há mais Eva Braun, nem partido nazista, nem guerra. Hitler mal pode identificar sua amada pátria, infestada de imigrantes e governada por uma mulher. As pessoas, claro, o reconhecem — como um imitador talentoso que se recusa a sair do personagem. Até que o impensável acontece: o discurso de Hitler torna-se um viral, um campeão de audiência no YouTube, ele ganha o próprio programa de televisão e todos querem ouvi-lo. Tudo isso enquanto tenta convencer as pessoas de que sim, ele é realmente quem diz ser, e, sim, ele quer mesmo dizer o que está dizendo. Ele está de volta é uma sátira mordaz sobre a sociedade contemporânea governada pela mídia. Uma história bizarramente inteligente, bizarramente engraçada e bizarramente plausível contada pela perspectiva de um personagem repulsivo, carismático e até mesmo ridículo, mas indiscutivelmente marcante.

Ao passo em que Hitler é confundido com um fiel comediante dele mesmo, as coisas vão acontecendo rapidamente na nova vida do ex-Führer. Sem Goebbels e outros importantes ex-membros do 3º Reich, além de sua esposa Eva Braun, Hitler se vê também num mundo tecnológico e que ele não entende. Mas, com a ajuda de um jornaleiro, ele conhece pessoas importantes e cresce rapidamente de popularidade - sempre sendo gozado, já que as pessoas pensam que ele não passa de um comediante.

"A primeira manhã na minha morada, apesar dos acontecimentos perturbadores até então, transformou-se na mais difícil da minha vida. A grande conferência na produtora foi postergada, o que veio a calhar para mim. Não seria tão presunçoso de acreditar que não era necessário ter conhecimentos consideráveis sobre o presente. Contudo, uma coincidência me abriu uma nova fonte para essas informações: a televisão. O formato do aparelho havia mudado tanto desde os primeiros modelos de 1936, que eu não o reconheci de imediato. No início pensei que aquela placa lisa e escura no meu aposento fosse uma espécie de obra de arte curiosa. Em seguida, supus, com base no formato plano, que ela serviria para manter minha camisa sem vincos durante a noite e, como muitas coisas nessa nova época, demandava tempo para se acostumar com elas, fosse pelos novos conhecimentos ou pela paixão por formas peculiares."
(Cap. VII, pág. 54)

A obra, claro é uma clara sátira a um possível retorno de Hitler aos dias atuais. O autor parte da teoria mais aceita, de que Hitler morreu em seu bunker, em 1945, aos 56 anos. Porém, ele distorce tal afirmação, ao simplesmente fazer com que ele reapareça do nada, com a mesma idade daquela época e vestindo as mesmas roupas de quando da queda da Alemanha. O Hitler que retorna, como escrito na contracapa da obra, Führioso. Isso é nítido em seu comportamento com algumas pessoas e a forma como as cita em seu relato - o livro é todo em primeira pessoa, o que o deixa ainda mais divertido e real.

"Contudo, o que me deixou especialmente satisfeito foi que jornais, revistas e todos os meios de informação eram acessíveis ali. Era como uma imensa biblioteca com horário de funcionamento ilimitado. Como me faltava isso!"
(Cap. XII, pág., 100)

Há, também, uma clara crítica à política alemã dos dias atuais, direcionadas sobretudo à chanceler alemã, Angela Merkel. Há trechos em que Hitler "diz" que Merkel é a "chanceler gorda" e "ineficiente". Quanto ao final, admito que o achei um tanto surpreendente e curioso. O ápice se desenrola com fatos que deixam o leitor a pensar qual seria o desenvolvimento da trama se ela fosse mais longa. E, a todo o tempo, a pergunta persiste: Como Hitler voltou, e intacto?

A obra fez tanto sucesso que ganhou um longa homônimo, disponível no Netflix. Sobre a diagramação, achei muito boa. A capa é sensacional, com o título do livro servindo de bigode de Hitler, ou seja, uma capa simples, mas que transmite o que a história quer contar. Já a fonte utilizada internamente, bem como seu corpo, foram bem selecionados e não dificultam a leitura.

Ou seja, se você é aficionado por histórias de Segunda Guerra, tragicomédias e livros que dão um segundo destino a personagens históricos como eu, Ele Está de Volta é a sua cara. Eu me diverti muito lendo-o e acompanhando as desventuras de Adolf.

Serviço
Livro: Ele Está de Volta
Autor: Timur Vermes
Editora: Intrínseca
Ano: 2014
Páginas: 300
Preço Médio: R$ 21,90

Um comentário:

  1. Olá!
    Nossa não conhecia esse livro =O
    Achei super interessante, com certeza lerei.
    Adorei a resenha!

    Books & Impressions

    ResponderExcluir