5 de dezembro de 2016

Notícia: Tânia Calciolari lança romance após superar doença grave


Às vezes, o destino prega peças inusitadas na vida das pessoas. Com um simples ato de solidariedade, um país pode ir à ruína. Ou talvez, seja a salvação de toda uma geração. Mas o que se menos espera, é que o destino também possa interferir na História.
“De certa forma, acredito que você já me conhece. Eu sou o destino. E como entrei aqui? Bom, deve saber que não preciso de convite para entrar em parte alguma. Na verdade, eu já estou em toda parte”. (p. 6) 

Na obra O Labirinto das Moiras, a médica e escritora Tânia Calciolari exibe o destino como um dos personagens. Como se tecesse ou tricotasse um tecido, a autora natural de Araras/SP, e que hoje mora em Brasília, apresenta diferentes histórias que também fazem parte da memória do Brasil, e que são o pano de fundo para o desfecho desse romance, que perdura para além das gerações e dos seres. 

Com a imigração italiana e a ditadura militar na base dos relatos, a autora expressa como esse percurso do tempo é um reflexo das ações dos homens. Em sua personificação de herói – o imigrante italiano Pietro Zanetti – Tânia conclui desde o início que nem sempre é possível realizar os objetivos com a própria força e vontade. Às vezes, é preciso de uma ajudinha do próprio destino. 

A própria autora também é um exemplo de como a vida percorre caminhos suntuosos para a vitória. O Labirinto das Moiras teve início quando Tânia estava em tratamento para a Hepatite C, em 2011. Na época, apenas 40% dos pacientes mostravam resultado ante as intermináveis injeções de Interferon. 

Esse número lhe causou uma angústia aguda e um medo crônico de ter um futuro e presente roubados de si. E é justamente essa falta de livre-arbítrio e individualidade que a autora explora em sua narrativa. Utilizando a mitologia grega como inspiração, Tânia trilha o caminho que o destino faz, cego ante às próprias amarras e limitações, porém perdidamente apaixonado pelos truques que o amor realiza com todos os seres. Como se fosse mais uma artimanha do próprio destino. 

Sobre a autora
Tânia Calciolari é mãe, esposa, irmã e filha. Nasceu em Araras/SP, passou boa parte da vida em Uberaba/SP, mas desde 2007 mora em Brasília. Formou-se em 1999 em medicina pela UFTM, e atualmente é especializada em radiologia. Acredita que ser médica e ser escritora são tarefas essencialmente ligadas à empatia, à capacidade de se colocar no lugar de outro, de ser o outro, seja para ter a sensibilidade suficiente para dar a notícia de uma lesão suspeita, seja para criar uma personagem.

Serviço
O Labirinto das Moiras
Autora: Tânia Calcioari
Editora: Desfecho
Ano: 2016
Páginas: 338
Preço Médio: R$ 60

2 comentários:

  1. Já começando pelo título que é um espetáculo à parte. Adorei. E ao ler sobre o que se tratava, fiquei ainda mais encantada.
    Recentemente(por isso o sumiço), passei uma cirurgia delicada, mais uma...e só quem carrega o medo da doença, o não ter certeza sobre o amanhã, sabe o quanto isso é angustiante!
    Se possível, lerei!
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo carinho de seu comentário! Espero que tenha se recuperado por completo após a cirurgia! Esses períodos em que passamos por doenças são ainda mais difíceis por nos revelarem cruamente nossos pesados vazios de alma. Mas também nos abrem caminhos para nos reconstruirmos a partir deles, como se fossem feitos de luz e sonhos! Espero que goste do livro. Beijos e ótimo 2017! Tânia Calciolari.

      Excluir