15 de novembro de 2016

Resenha: Mr. Mercedes - Stephen King


Lançado em 2014 nos EUA e em 2016 no Brasil, Mr. Mercedes, do clássico autor de terror Stephen King, é mais uma obra-prima do americano.
Sinopse: Ainda é madrugada e, em uma falida cidade do Meio-Oeste, centenas de pessoas fazem fila em uma feira de empregos, desesperadas para conseguir trabalho. De repente, um único carro surge, avançando para a multidão. O Mercedes atropela vários inocentes, antes de recuar e fazer outra investida. Oito pessoas são mortas e várias ficam feridas. O assassino escapa. Meses depois, o detetive Bill Hodges ainda é atormentado pelo fracasso na resolução do caso, e passa os dias em frente à TV, contemplando a ideia de se matar. Ao receber uma carta de alguém que se autodenomina o Assassino do Mercedes, Hodges desperta da aposentadoria deprimida, decidido a encontrar o culpado. Mr. Mercedes narra uma guerra entre o bem e o mal, e o mergulho de Stephen King na mente obsessiva e psicótica desse assassino é tão arrepiante quanto inesquecível.

Esta é a primeira parte de uma trilogia (que, inclusive, já estão disponíveis no Brasil), que se completam com Achados e Perdidos e Último Turno. Nela, um maníaco chamado Brady Hartsfield rouba um Mercedes e joga contra centenas de pessoas e, mesmo assim, escapa impune.Com o tempo, ele consegue convencer Olivia Trelawney, dona do veículo, a se matar. Daí em diante, seu objetivo passa a ser forçar o detetive aposentado ("carinhosamente" apelidado por ele de ex-policial gordo) Bill Hodges - centro da trilogia - a fazer o mesmo. Já para Hodges, agora, é tudo ou nada para encontrar o Assassino do Mercedes, contando com a ajuda de pessoas inimagináveis.
"Brady está parado no meio da escada, um turbilhão de pensamentos atravessa sua mente. O filho da mãe ainda pode decidir se matar, ele diz para si mesmo. A morte do cachorro pode ser a gota d'água. Só que ele não acredita nisso, e sua cabeça lateja de forma alarmante."
A obra até já ganhou prêmio (de tão boa que é). Stephen King nos dá uma visão única da mente do assassino. Ao invés de nos deixar com aquela curiosidade clichê de thrillers policiais comuns sobre quem é o criminoso, ele não só já nos expõe logo de cara o responsável, como também nos faz entrar na mente dele, ver como ela funciona, como é sua vida e quais são seus planos para Hodges e para seu futuro criminoso. Aqui, a grande inquietação é saber se ele conseguirá alcançar o objetivo, se Hodges descobrirá quem ele é e, o mais importante - se conseguirá pará-lo a tempo.
"O garoto negro o ouve se aproximando mesmo com o barulho do cortador de grama e se vira para olhar. Sei quase tudo sobre o velho Det. Apos. Não sei se está interessado em você, mas eu não ficaria surpreso. Pode ser por isso que ele mantém você por perto. De trás do volante do caminhão Mr. Tastey, coberto de imagens de crianças felizes e tocando o som de sinos alegres, Brady acena. O garoto acena em resposta e sorri. É claro que sorri. Todo mundo gosta do vendedor de sorvete."

A capa é belíssima, com a chuva de sangue sendo contida por um guarda-chuva, dando alusão ao fato que abre o livro, além do caminhão de sorvete Mr. Tastey, com os nomes do livro e do autor em alto-relevo. A diagramação das páginas é bem feita, no padrão da Suma, bem como as letras - pequenas, porém confortáveis para se ler. A leitura flui muito bem, não é chata e só te faz querer ler mais e mais, assim como Harry Potter (sou suspeito para dizer).
No fim, King me passa a impressão de querer nos mostrar como o ser humano pode ser fútil e vazio, de certa forma arrogante e egocêntrico. A trama tem um estilo Sherlock Holmes mesclado com Cormoran Strike e uma pitada de Robert Langdon, mas Hodges, assim como os anteriores, é único.

Nota: ★★★★★
 
Serviço
Livro: Mr Mercedes
Autor: Stephen King
Editora: Suma de Letras
Ano: 2016
Páginas: 400
Preço Médio: R$ 35,90

Nenhum comentário:

Postar um comentário