8 de março de 2016

Dica: 15 livros para o Dia Internacional da Mulher


Hoje, 8 de março, comemora-se o Dia Internacional da Mulher. Além de flores, chocolate, livros e roupas, as mulheres querem, acima de tudo isso RESPEITO.

Em homenagem ao #DiaInternacionalDaMulher o blog fez uma seleção de 15 livros (escritos por mulheres ou para mulheres).

Os Dilemas da "Mulher Maravilha" do Século XXI - Liliane Raquel Carvalho 
Sinopse: Quando eu era criança, ficava fascinada com os desenhos animados da Mulher Maravilha, porque, além de ter superpoderes, era mulher. Hoje, alguns anos depois, descubro que, assim como várias mulheres, sou uma “mulher maravilha” do século XXI. Não é o máximo? Ter consciência dos nossos poderes nos deixa mais poderosas e mais fortes para continuar uma missão brilhante, que tem vários aspectos. E descobri que o sucesso da empreitada nada mais é que equilibrar vários pratos, ao mesmo tempo, sem sobrecarregar um lado mais que outro. Achou fácil? Então (quem sabe?) somos trapezistas ou garçons natos e nem sabíamos.


Eu Sou Malala -  Malala Yousafzai e Christina Lamb
Sinopse: Quando o Talibã tomou controle do vale do Swat, uma menina levantou a voz. Malala Yousafzai recusou-se a permanecer em silêncio e lutou pelo seu direito à educação. Mas em 9 de outubro de 2012, uma terça-feira, ela quase pagou o preço com a vida.  Malala foi atingida na cabeça por um tiro à queima-roupa dentro do ônibus no qual voltava da escola. Poucos acreditaram que ela sobreviveria. Mas a recuperação milagrosa de Malala a levou em uma viagem extraordinária de um vale remoto no norte do Paquistão para as salas das Nações Unidas em Nova York. Aos dezesseis anos, ela se tornou um símbolo global de protesto pacífico e a candidata mais jovem da história a receber o Prêmio Nobel da Paz. Eu sou Malala é a história de uma família exilada pelo terrorismo global, da luta pelo direito à educação feminina e dos obstáculos à valorização da mulher em uma sociedade que valoriza filhos homens. O livro acompanha a infância da garota no Paquistão, os primeiros anos de vida escolar, as asperezas da vida numa região marcada pela desigualdade social, as belezas do deserto e as trevas da vida sob o Talibã. Escrito em parceria com a jornalista britânica Christina Lamb, este livro é uma janela para a singularidade poderosa de uma menina cheia de brio e talento, mas também para um universo religioso e cultural cheio de interdições e particularidades, muitas vezes incompreendido pelo Ocidente. “Sentar numa cadeira, ler meus livros rodeada pelos meus amigos é um direito meu”, ela diz numa das últimas passagens do livro. A história de Malala renova a crença na capacidade de uma pessoa de inspirar e modificar o mundo.




Lugar de mulher é onde ela quiser - Ana Paula Barbi, Clara Averbuck e Mari Messias
Sinopse: 
Chega de sites de mulher com dicas de como secar a barriga, como se vestir pra agradar homem, como decorar sua casa com itens caríssimos, como ser poderosa em 12 lições. Chega de "moda" que não cabe na maioria de nós enfiada goela abaixo. Chega de regras determinando como uma mulher deve ser, se portar, falar, existir.





Como Ser Mulher: Um divertido manifesto feminino - Caitlin Moran
Sinopse: Quando aparecem estatísticas dizendo que apenas 29% das mulheres norte-americanas se descrevem como feministas — e apenas 42% das inglesas —, eu penso: o que vocês acham que feminismo é, moças? Que parte da “liberação das mulheres” não é para vocês? Será que é o direito de votar? De não ser uma posse do marido? A campanha por equivalência salarial? A música “Vogue”, da Madonna? As calças jeans? Será que todas essas coisas IRRITAM VOCÊ? Ou será que você só estava BÊBADA NA HORA DA PESQUISA?”Como ser mulher...



Não Sou uma Dessas - Lena Dunham
Sinopse: Lena Dunham, apresenta uma coleção de relatos pessoais hilários, sábios e dolorosamente sinceros que a revelam como um dos jovens talentos mais originais da atualidade. Em Não sou uma dessas, Lena conta a história de sua vida e faz um balanço das escolhas e experiências que a conduziram à vida adulta. Comparada a Salinger e a Woody Allen pelo New York Times como a voz de sua geração, Lena é conhecida pela polêmica que desperta e por sua forma única e excêntrica de se expressar e encarar a vida. Engajada, a autora revela suas opiniões sobre sexo, amor, solidão, carreira, dietas malucas e a luta para se impor num ambiente dominado por homens com o dobro da sua idade. “Já estou prevendo a vergonha que sentirei por ter pensado que tinha algo a oferecer”, escreve Dunham. Mas “se eu puder pegar o que aprendi e tornar alguma labuta mais fácil para você ou evitar que você tenha o tipo de sexo em que sinta que deve continuar de tênis para o caso de querer sair correndo durante o ato, então cada passo em falso que dei valeu a pena.”

Sejamos Todos Feministas - Chimamanda Ngozi Adichie
Sinopse: O que significa ser feminista no século XXI? Por que o feminismo é essencial para libertar homens e mulheres? Eis as questões que estão no cerne de Sejamos todos feministas, ensaio da premiada autora de Americanah e Meio sol amarelo."A questão de gênero é importante em qualquer canto do mundo. É importante que comecemos a planejar e sonhar um mundo diferente. Um mundo mais justo. Um mundo de homens mais felizes e mulheres mais felizes, mais autênticos consigo mesmos. E é assim que devemos começar: precisamos criar nossas filhas de uma maneira diferente. Também precisamos criar nossos filhos de uma maneira diferente."Chimamanda Ngozi Adichie ainda se lembra exatamente da primeira vez em que a chamaram de feminista. Foi durante uma discussão com seu amigo de infância Okoloma. “Não era um elogio. Percebi pelo tom da voz dele; era como se dissesse: ‘Você apoia o terrorismo!’”. Apesar do tom de desaprovação de Okoloma, Adichie abraçou o termo e — em resposta àqueles que lhe diziam que feministas são infelizes porque nunca se casaram, que são “anti-africanas”, que odeiam homens e maquiagem — começou a se intitular uma “feminista feliz e africana que não odeia homens, e que gosta de usar batom e salto alto para si mesma, e não para os homens”.Neste ensaio agudo, sagaz e revelador, Adichie parte de sua experiência pessoal de mulher e nigeriana para pensar o que ainda precisa ser feito de modo que as meninas não anulem mais sua personalidade para ser como esperam que sejam, e os meninos se sintam livres para crescer sem ter que se enquadrar nos estereótipos de masculinidade. Sejamos todos feministas é uma adaptação do discurso feito pela autora no TEDx Euston, que conta com mais de 1 milhão de visualizações e foi musicado por Beyoncé.

Minha Sexlist - Joanna Bolouri
Sinopse: Sabe aquela tradicional lista de fim de ano com resoluções e promessas do tipo: parar de fumar, entrar na academia, começar a dieta, arrumar um novo emprego? Esqueça. Além de ultrapassada, não é nada original. Em Minha sexlist, a protagonista Phoebe Henderson decide superar o traumático fim de uma relacionamento com uma determinação de ano novo inusitada e apimentada:  uma agenda sexual para homem nenhum botar defeito, espécie diário sexy, com o qual ela se propõe a realizar dez ousadias sexuais ao longo do ano. O resultado é um livro hilário e provocador, um chic lit da mulher contemporânea. Com  o apoio da melhor amiga, Lucy, do tipo que não dispensa um flerte e com uma longa lista de parceiros no currículo, Phoebe estabelece as dez metas do desafio: falar sacanagem durante a transa, exercitar a masturbação, ter relações com um homem mais jovem, experimentar sexo anal, sexo ao ar livre,  sexo grupal, fantasias (encenações), sexo com um completo estranho, bondage e voyeurismo. Phoebe acredita que sua vida sexual sempre foi de tentativa e erro. A antiga Phoebe, aquela que amava Alex, é tímida e submissa, além de sexualmente reprimida.  Para ela, a matemática é simples: se conseguir se livrar do seu “antigo eu”, não sentirá mais nenhuma falta do ex, que ainda atormenta seus pensamentos, e conseguirá seguir em frente. O namorador Oliver ajuda Phoebe a cumprir a meta. Lindo e charmoso, ele e Phoebe se conhecem desde a época do colégio. São confidentes e gostam de passar o tempo juntos. Oliver adora pôr em prática os desafios propostos por Phoebe, sem qualquer envolvimento ou cobrança, apenas sexo. Oliver continua com suas conquistas (e não faz segredo para Phoebe), enquanto ela também arrisca experimentar suas fantasias com outros parceiros. Mas é quando menos se espera que Phoebe descobre de forma surpreendente que o que ela procurava há tempos sempre esteve mais próximo do que ela imagina... Qual será então o maior desfio de Phoebe após a sexlist?

A Poderosa Chefona - Tina Fey
Sinopse: Antes de Liz Lemon, antes do 'Weekend Update', antes de Sarah Palin, Tina Fey era só uma jovem com um sonho - um pesadelo recorrente em que ela era perseguida em um aeroporto por seu antigo professor de educação física. Ela também tinha o sonho de, um dia, ser comediante na TV. Ela viu esses dois sonhos se tornarem realidade. Finalmente, a história de Tina Fey pode ser contada. De seus dias de adolescente nerd depravada até se tornar chefe do Saturday Night Live; de sua busca pouco entusiasmada pela beleza física até sua vida como mãe que come coisas do chão; de seu romance unilateral no colégio até sua lua de mel quase mortal - do início deste parágrafo até a última linha. Tina Fey revela tudo e prova algo que sempre suspeitamos; você não é ninguém na vida até alguém chamá-lo de 'chefe'.



A Menina Quebrada - Eliane Brum
Sinopse: Nas colunas da repórter Eliane Brum no site da revista Época, a vida pode ser tudo, menos rasa. A cada segunda-feira, os leitores encontram um olhar sobre o Brasil, sobre o mundo, sobre a vida - a de dentro e a de fora. Eliane pode escrever sobre a Amazônia profunda, como alguém que cobre a floresta desde os anos 90; ou pode provocar pais e filhos, com uma observação aguda das relações familiares marcadas pelo consumo; ou pode refletir sobre a ditadura da felicidade, que tanta infelicidade nos causa. O que não muda são a profundidade e a seriedade com que ela trata cada tema. O que não é surpresa é seu enorme talento para enxergar muito além do óbvio. Essa combinação transformou sua coluna de opinião em um fenômeno de audiência. Este livro reúne seus melhores textos e dá ao leitor uma fotografia do nosso tempo, visto pelo olhar de uma repórter que observa as ruas do mundo disposta a ver. E que escreve para desacomodar o olhar de quem a lê.


My Life on the Road - Gloria Steinem
Sinopse:Minha vida na estrada, livro de memórias da jornalista, escritora e ativista norte-americana Gloria Steinem, será lançado pela Bertrand Brasil em setembro. A autora fala na obra sobre as viagens que fez pelo mundo para escrever matérias, trabalhar em campanhas políticas e participar de conferências ligadas ao movimento feminista. Recentemente a atriz Emma Watson participou de um bate-papo com Gloria Steinem em Londres. Minha vida na estrada foi o livro de estreia do clube de leitura feminista criado por Emma no site Goodreads.




A Descoberta do Mundo - Clarice Lispector
Sinopse: A descoberta do mundo é o primeiro trabalho de crônicas de Clarice. Mais do que ousar em um novo estilo literário, até então incomum em sua obra, a escritora faz desta publicação um diário de bordo da sua vida: paixões, histórias, entrevistas, filmes. Enfim, tudo o que participou de alguma forma de sua existência. São 468 crônicas publicadas aos sábados no Jornal do Brasil – certos dias agrupam várias delas, pequenas – entre 1967 e 1973 e, curiosamente, muitas delas poderiam ser republicadas hoje sem que ninguém percebesse a passagem dos anos. Algumas reflexões são atuais e atemporais. Personagens e pessoas que passaram por sua história, como as empregadas Aninha e Jandira, e uma jornalista, Cristina – ela não cita os sobrenomes –, são retratados em passagens da memória de Clarice. O livro é dividido em dias, como se fosse um diário, mas sempre entre realidade e ficção. Esta última, no entanto, revela com fidelidade as incertezas que cercavam sua enigmática personalidade.

A Garota da Banda - Kim Gordon
Sinopse: Lançamento do selo Fábrica231, a badalada autobiografia A garota da banda, de Kim Gordon, chega ao Brasil em setembro, depois de conquistar público e crítica nos Estados Unidos e na Europa. Fundadora da banda Sonic Youth, ao lado do ex-marido Thurston Moore, Kim Gordon foi baixista e vocalista da banda por mais de três décadas, além de produtora musical, artista visual, ícone fashion e atriz que continua a influenciar gerações de mulheres. No livro, ela narra sua trajetória com o mesmo estilo visceral e livre de amarras com que se apresenta nos palcos. E começa de trás para frente, partindo de dois términos entrelaçados: o divórcio do casal e o fim do Sonic Youth, ambos um baque para os fãs. A partir daí, a autora fala de casamento, maternidade, feminismo, de seu background familiar, da paixão pelas artes visuais e, claro, de música, com uma narrativa não linear, mas sempre fascinante.


Azul é a Cor Mais Quente - Julie Maroh
Sinopse: O livro conta a história de Clementine, uma jovem de 15 anos que descobre o amor ao conhecer Emma, uma garota de cabelos azuis. Através de textos do diário de Clementine, o leitor acompanha o primeiro encontro das duas e caminha entre as descobertas, tristezas e maravilhas que essa relação pode trazer. A novela gráfica foi lançada na França em 2010, já tem diversas versões, incluindo para o inglês, espanhol, alemão, italiano e holandês, e ganhou, em 2011, o Prêmio de Público do Festival Internacional de Angoulême. Em tempos de luta por direitos e de novas questões políticas, AZUL é a COR MAIS QUENTE surge para mostrar o lado poético e universal do amor, sem apontar regras ou gêneros.





Memórias da Trangressão: momentos da história da mulher no século XX - Gloria Steinem
Sinopse: Texto bem Humorado, Perceptivo, Instigante, que nao Somente Seduz o Leitor com uma Convincente Memoria Pessoal, mas Tambem com o Sentimento de um Importante Segmento de uma Geracao Inteira. uma Obrigatoria Leitura Feminista.




Sobrevivi, posso contar - Maria da Penha
Sinopse: O livro de Maria da Penha 'Sobrevivi... posso contar', relata a vida da autora que sofreu uma cruel, dolorosa e covarde violência. Maria da Penha oferece sua história generosamente a toda sociedade, como uma forma de contribuir com transformações urgentes, pelos direitos das mulheres a uma vida sem violência. História que muito tempo depois a tornou protagonista de um caso de litígio internacional emblemático para o acesso à Justiça e para a luta contra a impunidade em relação à violência doméstica e familiar contra as mulheres no Brasil. Ícone dessa causa, sua vida está hoje também simbolicamente subscrita e marcada sob a lei nº 11.340 ou lei Maria da Penha. Penha compartilha de forma ímpar sua história de vida – tão particular e ao mesmo tempo tão comum à de tantas mulheres que levam no corpo e na alma as marcas visíveis e invisíveis Ongs da violência. O livro conta com o apoio do Centro pela Justiça e o Direito Internacional (CEJIL) e do Comitê Latino-Americano e do Caribe para a Defesa dos Direitos da Mulher (CLADEM), além do texto do jurista Paulo Bonavides. Este livro proporciona muito mais do que a história de violência contra uma mulher. Revela um fenômeno social, político, cultural e ideológico que afeta de forma grave e desproporcional muitas mulheres.

Dica extra: Inspirada pelo seu trabalho na ONU a atriz Emma Watson começou a ler vários livros sobre igualdade de gênero. Por conta disso, resolveu criar um grupo de leitura feminista. O Clube Our Shared Shelf (Nossa prateleira) tem como objetivo fazer a leitura e discutir sobre as obras. A cada mês a atriz escolherá um livro para o clube, o primeiro foi My Life on the Road (Minha Vida na Estrada), da jornalista e ativista Gloria Steinem. O grupo é aberto para todos, basta criar uma conta no Goodreads.

Dia da mulher é todo dia! Lutar pela igualdade e pelo respeito.

2 comentários:

  1. Uaaal, por isso que eu amo seu Blog.
    Você me faz ficar curiosa em ler mais rsrs.

    Adorei o post dos livros direcionados à nós mulheres.

    Feliz dia das mulheres Dani.

    Beijos.
    nossomundorose.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico muito feliz! :D
      Um excelente dia para você.

      Excluir