19 de fevereiro de 2016

Parceria: Editora Lendari


O blog Bio-Livros agora é parceiro da Editora Lendari.

Sobre a editora: Lançada em 2014 pelo escritor Mário Bentes pouco depois de sua participação na Bienal Internacional do Livro de São Paulo, a Lendari é uma editora segmentada e que vem com a proposta de apresentar novos autores no mercado editorial. A seguir, os princípios essenciais que norteiam nossos projetos. Site | Facebook

Vejam as publicações da editora:

Sinopse: Muito antes do homem, há o mistério. Em meio à imensidão das florestas, existe algo que vai além dos rios, igapós e das barrancas de terras caídas. Uma chave que brilha em verde-esmeralda e que guarda a entrada da origem de tudo: da copa intransponível das árvores, que quase não permite que o solo úmido veja a luz do Sol, a todo ser vivente que caminha furtivamente pelos meandros dos segredos. Há quem adentre a selva sem pedir permissão e nunca mais retorne. Há quem desista de encará-la quando os ventos trazem o canto invisível do Uirapuru, os passos do Mapinguari ouvidos de muito longe ou mesmo as vozes sem face que sussurram sem dizer uma palavra. E há quem nada saiba sobre ela. Quando a selva sussurra é uma coletânea de contos baseados em lendas amazônicas. Revisitadas, relidas e reinterpretadas por autores que, como “mateiros” – os homens nativos da região que conhecem como ninguém todas as sinalizações ocultas da floresta –, vão conduzir o leitor à face do inexplorado, ao alcance do mitológico, às estradas perdidas do Eldorado literário onde todas as verdades se apresentam como lendas ainda hoje contadas pela oralidade dos antigos. Histórias que não se perdem quando passadas adiante. E que vão continuar. Porque o mistério permanecerá depois do homem.


Sinopse: Se há tantos planetas com condições similares às da Terra em todo o Universo, possibilitando, portanto, o surgimento da vida – inclusive da vida inteligente –, onde estão os outros? Tal questão foi seriamente levantada por volta de 1950 pelo físico Enrico Fermi, enquanto discutia com outros cientistas sobre o aparente paradoxo, que veio a ser conhecido como Paradoxo de Fermi. Mais tarde, nos anos 60, o astrônomo Frank Drake propôs uma complexa equação matemática – chamada, posteriormente, de Equação de Drake – que objetivava encontrar um modo de avaliar as possibilidades relacionadas com a existência ou não da vida alienígena. Anos mais tarde, sem que a comunidade científica internacional chegasse a uma conclusão, alguns pesquisadores especularam possíveis soluções ao paradoxo. Um deles, Robin Hanson, propôs que, na verdade, havia algum tipo de obstáculo que impedia, em algum momento, que a vida se desenvolvesse além de um certo estágio – proposição atualmente rotulada de Hipótese do Grande Filtro. Mas qual seria este estágio – ou estágios? Eles realmente existem? Se existem, são naturais? Se são naturais, a Terra precisou superá-los para estarmos aqui? É aí que surge uma outra via: a Hipótese do Gargalo de Gaia. Os pesquisadores desta linha de pensamento acreditam que, na verdade, a própria vida, em seu início, seja tão frágil que as próprias condições instáveis de seus planetas sejam as responsáveis por sua extinção. Há indícios de que Marte e Vênus, por exemplo, tenham sido palcos ideais para a formação da vida, mas hoje não passam de cenários desolados, estéreis e mortos. Mas ninguém garante, afinal, que o último gargalo precise vir, necessariamente, nos primeiros estágios da vida. Ele pode aparecer sem aviso, quando a vida está em plenamente desenvolvida, com seres inteligentes e certos de sua imortalidade enquanto espécie. Mas, ao contrário do que pode parecer, a existência de vida alienígena não é o tema principal de O último Gargalo de Gaia: distopias, steampunk e dias finais. Esta obra, na realidade, trata das mil e uma possibilidades de extinção em massa da vida na Terra – seja por motivações naturais, aparentemente naturais ou deliberadamente artificiais. Com diferentes visões, que incluem a apresentação de passados alternativos e suas tecnologias impossíveis, distopias apocalípticas e até mesmo dramas que abordam questões filosóficas, os autores desta antologia de ficção científica trazem para o leitor os diferentes nomes e características dos gargalos que, finalmente, calarão nosso sopro existencial. Até que, outra vez, em outra parte distante do Cosmos, a vida volte a florescer. 
CURSOS
 
Sobre o Curso: Tenho a ideia perfeita para um livro de aventura, mistério, fantasia, mas não sei a melhor maneira de começar. Existe alguma forma de estruturar minha narrativa? E se o livro começar a ficar grande e eu “perder o fio da meada”? E se, após meses escrevendo, eu não saber mais para onde ir? Quando saber quando o livro deve acabar? Existe uma forma de fazer isso? Existe algum método? O curso online A Jornada do Heroi – Construção de enredos para livros, da editora Lendari, vai possibilitar que autores inexperientes possam criar narrativas e estruturá-las de acordo com o método d’A Jornada do Heroi, com atos pré-definidos e seções inerentes específicas. Juntos, esses elementos – considerados universais e identificados pelo antropólogo Joseph Campbell, autor do livro O Heroi de Mil Faces – potencializam o desenvolvimento do enredo e facilitam o trabalho de escritores com pouca experiência (mas muita criatividade) no trabalho de desenvolvimento de tramas complexas.
A Metodologia Jung – Construção e desenvolvimento de personagens a partir de arquétipos universais
Sobre o Curso: Há quem diga que o autor está para seus personagens como um deus está para os seres humanos. Ou seja, é função dele criá-los e dotá-los de características únicas, de sentimentos, objetivos, medos, frustrações e uma complexa carga dramática que os torne tão reais quanto qualquer pessoa em carne e osso. Mas como posso dar profundidade a um ser inventado no papel? Como desenvolver meus personagens para que eles conduzam minha narrativa de forma coerente, lógica, que levem minha história à sua conclusão? Existe uma forma de fazer isso? Existe algum método? O curso online A Metodologia Jung – Construção e desenvolvimento de personagens a partir de arquétipos universais, da editora Lendari, vai possibilitar que autores inexperientes possam criar personagens e caracterizá-los de acordo com o sistema de arquétipos humanos catalogados pelo psiquiatra Carl Jung, de maneira que a composição destes personagens seja o mais realista e crível possível aos olhos do leitor. Do mesmo modo, o autor poderá visualizar o potencial de todos os seus arcos e o papel de cada um no desenvolvimento do enredo.

Desejamos que a parceria seja muito boa, tanto para o blog quanto para a editora. 

2 comentários: