12 de agosto de 2015

Notícia: Autora dá voz as crianças que têm os pais longe do convívio social



“Mãe, cadeia não é pra bandido? Meu pai não é bandido, né? Meu pai não está preso não, né? Mãe? Mãe? Hein, mãe? Por que ele tá preso, hein, mãe? Mãe...”
A história do livro Pai Francisco, escrito por Marina Miyazaki Araujo e lançado neste pela Pólen Livros, começa assim.

A obra fala sobre um menino que não vê a hora de voltar a ter o pai, afastado do convívio social, ao seu lado. A autora dá voz às crianças e adolescentes que passam pela mesma situação. Em 16 páginas, Marina, que já trabalhou com egressos do sistema penal e suas famílias, aborda a importância do vínculo familiar mesmo em situações adversas. E discute o preconceito enfrentado pelas famílias de apenados perante a sociedade.

As ilustrações de Marcus Vinícius Vasconcelos, diretor de animações premiadas como Realejo e Pintas, dão vida aos personagens, ajudando a mostrar que a criança não tem responsabilidade pelos atos cometidos pelos pais.
“Pai Francisco entrou na roda  Tocando seu violão Vem de lá seu delegado E Pai Francisco foi pra prisão”
A principal inspiração da autora para escrever o livro foi a cantiga de roda Pai Francisco. “Desde criança, eu ouvia a música e ficava pensando: Mas por que o Pai Francisco foi preso? Só porque estava tocando violão?”, questiona a autora. Ela também se inspirou na música de Chico Buarque “Velho Francisco”, que trata da realidade da vida dele quando jovem, já que, mais velho, ele vivia de suas fantasias de grandeza.

Sobre a autora
Marina Miyazaki Araujo tem 49 anos de puro bom humor (que nada, é ranzinza, mas finge bem), tem uma dislexia leve (leve? parece “Os Três Patetas” numa só pessoa). Fez coisas importantes (eita! só faz coisas que não sabe fazer, tipo, escrever sobre futebol sem entender do assunto, dar aula mesmo tendo dislexia...). Estudou (ou só frequentou escola?) como “manda o figurino” e fez pós-graduações (o que ela nunca usou pra nada), trabalhou em algumas coisas legais (e em muitas chatas). Atualmente, é casada (atualmente? há mais de 20 anos), tem filhos (um monte!), plantou árvore e escreveu livro (fazer isso foi fácil, quero ver saber criar os filhos, não deixar a árvore morrer e conseguir vender o livro!).

Sobre o ilustrador
Marcus Vinícius Vasconcelos gosta de desenhar, sempre gostou, desde de criancinha. Gosta tanto que seu pai teve que rezar muito para ele não passar no vestibular de Artes Plásticas. As rezas funcionaram e o Marcus acabou se formando em Publicidade. Mas o rapaz é teimoso e não foi isso que o convenceu a desistir do desenho. Hoje desenha e conta histórias, histórias desenhadas, histórias animadas. Já ganhou até alguns prêmios com elas. Mas mais do que contar e desenhar histórias, ele gosta mesmo é da Nádia e do Tomás.
Serviço
Livro: Pai Francisco
Editora: Polén Livros
ISBN: 978-85-98349-19-0
Páginas: 16
Formato: 20 x 20 cm
Preço: R$ 25,90

Nenhum comentário:

Postar um comentário