14 de julho de 2015

Resenha: A voz do Alemão - Sabrina Abreu e Rene Silva


* Livro cortesia da Editora nVersos
O livro A voz do Alemão, de Sabrina Abreu e Rene Silva, traz a história do tuíteiro do Complexo do Alemão e relata a importância da comunicação em uma comunidade, para que assim ela possa ter voz na sociedade.

Sinopse: Maior complexo de favelas do Brasil, o Complexo do Alemão é composto por 13 favelas que somam mais de 70 mil habitantes. Apesar da dimensão gigante, dentro de uma das maiores metrópoles do país, a região do Morro do Alemão era, até poucos anos atrás, um universo à parte, desconhecido da maioria dos brasileiros. Foi com a recente, polêmica e controversa pacificação do morro que seus habitantes, histórias e relatos vieram a ficar conhecidos do grande público. Entre esses personagens, destacou-se um que viria a ganhar a fama simultaneamente à ocupação da favela pelas forças militares: o jovem Rene Silva, que tuitou sobre a movimentação dos traficantes um dia antes da ocupação policial que foi notícia no mundo todo. Porém, assim como foi com o resto do Complexo, a recente fama de Rene Silva para o mundo veio depois de sua notoriedade dentro do morro, onde era famoso por aos 11 anos ter criado o jornal comunitário Voz da Comunidade. Fiel aos valores jornalísticos mesmo antes de poder ser chamado formalmente de repórter, Rene respondeu ao juramento de imprensa e instintivamente criou uma maneira de levar voz aos silenciados habitantes do Alemão para que, então, eles pudessem relatar sua própria história. É nessa pluralidade de relatos, personagens e discursos que Voz do Alemão encontra seu uníssono. Tendo Rene como a linha condutora que faz a travessia entre cada voz, Sabrina Abreu, em parceria com o repórter precoce, desenha um panorama da riqueza de experiências, de lutas, de realidades e de vozes que compõem o Alemão, sem nunca esquecer o passado sofrido da comunidade. Vozes essas que eram invisíveis ao grande público, mas que foram ouvidas por Rene, e que gritam em coro o que o jovem jornalista atendeu: “representatividade”. 
Muitos já ouviram falar da ocupação no Complexo do Alemão, que aconteceu no ano de 2010 no conjunto de favelas do Rio de Janeiro. A instalação das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) se deu pelo fato do alto índice de violência nessas localidades e tinha como objetivo firmar uma parceria da polícia com a população e as instituições da área.

A voz do Alemão retrata justamente este cenário, desde a invasão até os reflexos que ela teve na comunidade. Sabrina ressalta no livro a trajetória de Rene e de como ele ficou famoso narrando a ocupação e a pós-ocupação do Complexo no jornal Voz da Comunidade.
"Além dos relatos da equipe de jovens repórteres, em sua casa no Morro do Adeus, Rene recebia, por meio de mensagem no celular, por e-mail e por recados nas redes sociais, as atualizações de outros moradores contando-lhe o que ocorria nas demais favelas do Complexo, como a Fazendinha, o Alemão, a Grota
Utilizando elementos da comunicação a obra é contada por Sabrina e narrada por meio de aspas, que expõe as falas dos personagens entrevistados. Além disso, a jornalista mostra os vários lados da história, dando voz ao governo, à população e às opiniões diferentes dos moradores e da polícia. Há relatos de ex-traficantes e grupos de tráfico. Há também relatos antigos de veículos de comunicação como Veja e Globo, que são utilizados para inserir o leitor no contexto, que começou bem antes da invasão.

Além de contextualizar, os fatos narrados pela mídia (que também eram descritos pelos estrangeiros) mostram como o Complexo era visto antes da ocupação (violência, perigo e pobreza) e como ele passou a ser visto depois disso (esperança, jovens atrás de seus sonhos e lutando por um futuro melhor, as belezas da comunidade, o dia-a-dia de um morador da favela). Este novo cenário fez com que o Complexo e alguns de seus moradores fossem retratados em uma novela escrita por Glória Perez.
"O garoto sempre quis apresentar o Voz da Comunidade e seus outros projetos para Luciano Hulk. Ele mesmo se apresentou para Kapila, via Twitter, quando soube que o jornalista trabalhava no Caldeirão."
Rene e os colaboradores do jornal criado por ele ajudaram nesta divulgação de uma imagem positiva do Complexo diante de grandes canais de comunicação. Por meio deles e de suas histórias, o Brasil pôde conhecer fotógrafos, jornalistas, empreendedores, colaboradores sociais, membros do Afro-Reggae e tantos outros que dedicam o seu trabalho para ajudar as pessoas.

Através dos fatores narrados acima o leitor consegue perceber o quanto é importante a conquista de cada indivíduo e as conquistas da sociedade. Trabalhando em conjunto, assim como Rene Silva e seus amigos trabalham para arrecadar presentes para as crianças da comunidade no Dia das Crianças, na Páscoa ou no Natal ou também para fazer churrascos e festas juninas, valorizando e incentivando a cada um, os resultados são melhores.

Fazendo a leitura do livro-reportagem é possível perceber que a autora teve uma experiência incrível escrevendo. Em alguns capítulos ela se insere na história, dando opiniões de forma sútil, mostrando que ela realmente foi afundo e mergulhou no assunto o qual escolheu descrever. Sabrina soube tratar de um assunto pesado de uma forma mais leve e interessante, bem como Rene narrou os fatos da ocupação. 

A editora caprichou na capa, que nos transporta para o cenário do livro. A diagramação também ficou sensacional, trazendo uma página laranja com um teleférico desenhado no começo de cada capítulo. A inserção de fotografias complementa a obra e faz o leitor se sentir mais próximo dos personagens e dos fatos.

Confesso que depois de ler este livro consegui ter uma visão mais ampla do Complexo do Alemão e outras comunidades do Rio, inclusive pude desmitificar muita coisa que a mídia mostra.

Ao contrário dos livros de ficção, este não traz um “felizes para sempre” na sua conclusão, mas sim a esperança de uma sociedade melhor, a qual todos se ajudem e lutem pela paz.

Observação: Coloquei a música Minha Alma, de O Rappa, para escrever esta resenha. Em minha opinião, ela reflete muito bem o que foi tratado no livro. “Paz sem voz, não é paz, é medo.”

Serviço
Autores: Sabrina Abreu e Rene Silva
Páginas: 200 páginas
Ano: 2013
Editora: Nversos
Formato: 14 x 21 cm
ISBN: 978-85-64013-77-3
Preço médio: R$ 30

4 comentários:

  1. Olá Daniela!
    Muito, mas muito interessante mesmo a iniciativa de escreverem um livro sobre o Alemão.
    Tem muitas novelas e documentários sobre o morro, das coisas que acontecem lá (como em qualquer outra comunidade), inclusive com a implantação das UPP's, que fizeram sim um bem e um mal para o lugar, porque nem tudo é rosas como muitas vezes a mídia coloca para quem a assiste.
    Fiquei bem interessada em conhecer um pouco mais sobre a comunidade. Acho que vou procurar esse livro.
    Abraços!
    Blog Saphy | Facebook

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, sim. A obra é MUITO interessante e nos apresenta uma versão bem diferente do Alemão. Vale muito a pena a leitura.

      Excluir
  2. Oi, tudo joia?
    Adorei a proposta desse livro, muito bom mesmo. É a primeira vez que vejo sobre, adorei conhecer *--*

    Beijos
    http://intoxicadosporlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir