7 de abril de 2015

Resenha: Machado de Assis: do folhetim ao livro - Ana Cláudia Suriani




* Livro cortesia da Editora nVersos
O livro Machado de Assis: do folhetim ao livro escrito por Ana Cláudia Suriani da Silva é uma obra completa para quem gosta das obras do romancista Machado de Assis.

Sinopse: Publicado originalmente no formato de folhetim na revista de moda A Estação , o romance Quincas Borba, de Machado de Assis é considerado um dos mais importantes da obra Machadiana e um dos que definem seu estilo de narrativa, realista e irônica. Último romance publicado por Machado no então tradicional formato de publicação seriada em periódico, foram as dificuldades enfrentadas pelo autor durante a publicação e sua transição para a obra como volume completo que definiram pontos importantes do estilo de escrita do mais relevante autor brasileiro. São essas diferenças entre as obras, seus pontos de encontro e distanciamento e suas consequências que são estudados por Ana Cláudia Suriani da Silva, em seu livro Machado de Assis: do folhetim ao livro. Produzido como projeto de doutorado da autora e originalmente publicado em inglês, a obra analisa o processo criativo do romance Quincas Borba em seus dois momentos distintos: sua publicação original como folhetim num periódico, e como esta dialogava com os outros elementos da revista, seus anúncios, gravuras e colunas, e sua publicação como volume único, e como as dificuldades da publicação em folhetim influenciaram a produção da obra definitiva, sua narrativa global ao invés de progressões episódicas lineares. Além disso, Ana Cláudia busca mostrar como o enfoque da revista, dedicado à moda e aos interesses da elite contribuíram para marcar no autor sua narrativa realista e irônica, dedicada a criticar os costumes e a situação política de seu tempo com mordacidade. Uma análise da coisificação do indivíduo, do homem tornado objeto pelo homem e como os vencedores tendem a ficar com os tubérculos.

Por utilizar termos técnicos e detalhar precisamente o método de pesquisa e como ocorreu a criação da obra, este livro talvez não agrade a todos os leitores. Contudo, o livro tem potencial para que fãs do Machado de Assis e amantes da literatura possam ir além de uma história publicada, mas sim investigá-la afundo.

No caso de Quincas Borba, objeto de estudo do livro, nota-se que há diferenças, que possivelmente só puderam ser notadas depois de muitos anos e muitos estudos, entre a publicação no folhetim e no livro. Afinal, os públicos eram diferentes e os interesses também.

Ana Cláudia estudou, e expõe neste livro, a linguística utilizada em Quincas Borba, a forma como os diferentes meios de publicação interferiram no andamento da criação de Machado de Assis.

Outro fator que é citado e discutido é a participação do autor na obra, a forma como ela retrata a sociedade e como o leitor do folhetim e do livro interpretaram uma mesma história, contada em formatos diferentes.

Para fãs do Machado de Assis, para fãs de literatura, para alunos e professores. Machado de Assis: do folhetim ao livro é um livro que responde muitas indagações, principalmente as dos leitores mais críticos e que tenham maior interesse pela história.

O que também merece destaque é a diagramação, que ficou maravilhosa. As páginas estão lindas e com detalhes maravilhosos nas letras. A capa é espetacular!

Ao final da leitura há um conhecimento mais abrangente do autor, da obra,  da linguagem e da estrutura diferente em que ela foi escrita, primeiramente para folhetim, e depois, com mais cortes e adaptações, para livro.

Serviço
Livro: Machado de Assis: do folhetim ao livro
Autor: Ana Cláudia Suriani da Silva
Páginas: 288
Publicação: 2015
Editora: nVersos
Preço médio: R$ 39

2 comentários: