16 de abril de 2015

Notícia: Mario Sergio Cortella aborda ética e educação


Mario Sergio Cortella lança, pela Cortez Editora, o livro Educação, convivência e ética – audácia e esperança!, que traz uma relação entre conceitos básicos para a boa convivência no ambiente educacional.

O livro apresenta uma explanação sobre ética no processo educacional e se dirige não só à classe docente, mas também aos pais e a todos interessados pelo universo da educação e do bem-estar coletivo. Com texto e linguagem de fácil compreensão, a obra contextualiza a ética em diversas situações do cotidiano: passeia, por exemplo, pelo inesquecível “7x1”, ocasião na qual o capitão da seleção alemã revelou, após a fatídica partida, que sua equipe não humilharia a seleção brasileira quando percebeu que ganhariam o jogo facilmente.

A partir de diversos outros exemplos do dia a dia, Cortella argumenta que uma postura ética, principalmente na educação, proporciona uma melhor convivência social, seja dentro da escola, no bairro em que vivemos ou em qualquer outro lugar. Segundo o autor “faz parte da competência docente a capacidade de não só fazer bem aquilo que se faz, mas fazer o bem com aquilo que se faz”, e embasa essa ideia ao citar a frase do filósofo Francis Bacon: “Saber é poder”.

Não existe ética individual! Doutor em Educação pela PUC-SP, Cortella aborda a ética não como um conjunto de regras, mas sim, a base ando em conceitos de fraternidade e coletividade - princípios estes que devem reger as relações humanas, afinal, é justamente para estruturar a convivência social humana que se deve seguir uma postura ética. Além disso, o autor reflete sobre o que chama de “fratura ética”, ou seja, posturas acomodantes, de pessoas que se mostram absolutamente avessas a mudanças: são as que fazem uso de expressões como “isso não é problema meu” ou “não mexa, é melhor assim”.

Em um dos trechos mais cativantes do livro, o autor utiliza o filme do cineasta Akira Kurosawa, DersuUzala (Japão, 1975, 141 min) como alegoria: nele, dois personagens se veem em uma situação de risco, perdidos em um local inóspito. Ambos sobrevivem graças a ação de um desconhecido que deixou uma cabana repleta de suprimentos. Após terem se livrado dos percalços e terem consumido boa parte do que estava no abrigo, um dos protagonistas quer ir embora deixando a cabana sem suprimentos; o outro, no entanto, se vê “obrigado” a retribuir a gentileza, a procurar alimentos para abastecer o local novamente, afinal,tal ato poderá salvar a vida de outras pessoas, tal qual salvou a deles.

Sobre o autor
Graduado pela Faculdade de Filosofia Nossa Senhora Medianeira, Mestrado em Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo sob a orientação do Prof. Dr. Moacir Gadotti e Doutorado em Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo sob a orientação do Prof. Dr. Paulo Freire. Professor-titular do Departamento de Fundamentos da Educação e da Pós-Graduação em Educação da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, na qual atuou por 35 anos, sendo que em 30 deles também no Departamento de Teologia e Ciências da religião; foi Secretário Municipal de Educação de São Paulo (1991/1992) e Membro-conselheiro do Conselho Técnico Científico Educação Básica da CAPES/MEC (2008/2010). É autor de mais de 20 livros, entre eles,Educação, escola e docência (CortezEditora), A Escola e o Conhecimento: fundamentos epistemológicos e políticos (Cortez Editora) e O que é a Pergunta?, com Silmara Casadei (Cortez Editora),Qual é a tua obra? (Vozes), Não espere pelo epitáfio! (Vozes) e Não nascemos prontos! (Vozes).

Serviço
Educação, Convivência e ética – audácia e esperança!
Autor: Mario Sergio Cortella
Preço: R$ 34,00
Páginas: 120

Um comentário:

  1. Queria saber com faço uma resenha crítica do 3 capítulo de educação e posturas acomodantes: fratura ética

    ResponderExcluir