9 de março de 2015

Dica: Internet a favor da publicação


Sempre que alguém escreve um livro, o maior obstáculo para lançá-lo no mercado é encontrar uma editora que se interesse pelo manuscrito. Por conta disso, escritores estão procurando cada vez mais sites que oferecem a possibilidade de expor sua obra gratuitamente. Esse é o caso do Clube de Autores. Lançado há quatro anos e representando hoje cerca de 10% do mercado editorial brasileiro – em relação à quantidade de livros publicados –, o portal permite que autores independentes lancem suas obras sem tiragem mínima. Caso o internauta se interesse em comprar, a história pode ser paga por ele e enviada no formato tradicional. Há também a possibilidade de e-book (livro digital), podendo ser vendido, inclusive, em lojas eletrônicas, como o Google Play. 

Diretor-presidente e um dos fundadores do site, Ricardo Almeida, 37 anos, conta como surgiu a ideia de criar a startup. “Todos nós, fundadores, somos autores e também passamos pelo processo de publicar um livro, algo que não parecia muito prático. Então, resolvemos criar plataforma sob demanda, na qual qualquer autor pudesse publicar gratuitamente.” Almeida, porém, não vê as editoras como concorrentes. “Muitos autores que fazem sucesso conosco despertam a atenção das editoras e assinam com eles. Isso não é uma perda para nós, pois eles vão falar bem do nosso serviço e indicar para outros escritores.” 

Segundo o Clube de Autores, dos 28 mil escritores cadastrados no sistema, 85 são do Grande ABC e já publicaram 522 obras na plataforma. É o caso de Jean Carlos Brone, 53 anos, de São Bernardo, que atua profissionalmente como técnico em suporte de computadores. “Conheci (o Clube de Autores) em 2010, depois que um colega me informou que não era necessário gastar para publicar, apenas precisava se dedicar mais ao preparar o conteúdo e a capa.” Ele leva a carreira de escritor como um hobby, tendo publicado cinco obras no site até o momento, e ressalta a importância da plataforma. “Tem sido importante no sentido de poder documentar o que escrevo e guardar, agora não mais em uma caixa de sapatos.” 

Com a popularização desses serviços, as editoras parecem perder espaço no que tange à compra de direitos autorais sobre livros. Para Letícia Teófilo, coordenadora editorial da Novo Século, a oportunidade virtual pode ser um passo importante para quem sonha em ser escritor. “Os que oferecem esse serviço contemplam os passos preliminares de escritores iniciantes no mercado literário, inclusive medindo o envolvimento do escritor com a mídia e relacionamento, já que a divulgação da obra depende totalmente do engajamento dele”, analisa a representante da editora. 

OPÇÕES 
O Clube de Autores não está sozinho quando se trata de publicação on-line. Existem serviços que possuem ferramentas semelhantes, a exemplo do Wattpad. Nele, os usuários compartilham obras entre si e de forma gratuita, ampliando contatos e colaborando uns com os outros em melhorias nos escritos. De certa forma, o Wattpad pode ser considerado uma rede social de autores. 

Há também a versão brasileira da Amazon, que começou suas operações no País em 2012, mas apenas com a venda de e-books. No ano passado, a empresa norte-americana iniciou a comercialização de livros impressos. Após cadastrar-se, o usuário pode enviar seu livro e fixar um preço por ele. É obrigatório que cada escritor solicite o ISBN (International Standard Book Number), registro necessário para todas as obras publicadas no Brasil e no mundo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário