3 de fevereiro de 2015

Resenha: Carrie, A Estranha - Stephen King


Este é um dos primeiros livros de Stephen King e já teve duas adaptações para o cinema.

passando no Maine, ele conta a história de Carrie White, adaptação de duas jovens que passaram pelo mesmo problema que a personagem: Eram perseguidas na escola por seus colegas e tinha poderes telecinéticos, ou seja, eram capazes de mover objetos, etc; Carrie sofre com a mãe, uma cristã radical que obriga a menina de 16 anos a oras por horas dentro de um armário.

Carrie, ao descobrir o que é menstruação no banheiro feminino e ser humilhada por suas colegas, é protegida pelos conselheiros da escola. Para se redimir, uma das garotas pede que seu namorado chame Carrie para o baile da escola, prestes a acontecer. O problema é que Chris odeia a garota e quer se vingar dela. Essa tentativa trará consequências gravíssimas para todos e deixará marcas que ninguém jamais esquecerá.

Ao longo do livro, SK introduz recortes fictícios de jornais e livros escritos exclusivamente estudando o caso Carrie White, além de depoimentos dos sobreviventes da cidade. Alguns deles, portanto, meio que "revelam" spoilers do que está por vir, mas isso não interfere na leitura, ao contrário, até que nos ajuda a entender quem é Carrie White. Excelente leitura para aqueles que gostam de terror.

Serviço
Livro: Carrie, A Estranha
Autor: Stephen King
Páginas: 199
Data de publicação: 1974
Editora: Suma de Letras
Preço médio: R$ 20
Nota: 

4 comentários:

  1. Oi, tudo joia?
    Acabei nem lendo o livro e nem vendo o filme, sempre falei em fazer as duas coisas, mas sempre aparece algo na frente, ai acabo deixando de lado haha, não sou muito acostumada em ler ou ver coisas de 'terror', mas não tenho nada contra haha, ainda vou ler esse ano <3

    Beijos
    intoxicadosporlivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também não sou muito acostumada a esse gênero, haha.

      Excluir
  2. Oi Rodrigo!
    Carrie é um dos maiores clássicos do King, mas particularmente não é um dos meus favoritos dele. Ainda assim é um bom livro. O filme da década de 70 (do Brian de Palma) é ótimo, mas achei esse recente bem fraquinho.
    Beijos
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pelo que ouvi, o filme de 70 é melhor mesmo.

      Excluir