6 de janeiro de 2015

Resenha: Novembro de 63 - Stephen King

Dando sequência às minhas leituras de Stephen King, fui para um livro mais recente dele, o Novembro de 63.
Dessa vez, King nos leva para o ano de 2011, no qual o professor de Inglês Jake Epping é envolvido por seu mestre cuca preferido em uma trama direto do passado: Al (criador do melhor hambúrguer da região do Maine) mostra a Jake a "Toca de Coelho", uma espécie de portal para o passado, exatamente em 1958. Prestes a morrer, Al pede a Jake que cumpra uma grande missão que ele não conseguiu cumprir: Evitar o assassinato de John F. Kennedy, morto em novembro de 1963.

A princípio, Jake não aceita, mas com a morte do amigo, ele se vê sem saída. Independente do tempo que Jake passasse no passado, em seu ano original ele viveria apenas dois minutos. Assim, com as anotações de Al, Jake fica na cola de Lee Harvey Oswald, suposto assassino de Kennedy, enquanto vive sua vida no passado, com o nome de George Amberson e a vantagem de saber tudo o que vai acontecer nos próximos anos.

Enquanto se envolve com a pequena cidade de Jodie, seus moradores e namora Sadie Dunhill, Jake (ou George) percebe duas coisas perigosas em sua viagem no tempo: Que "o passado se harmoniza" e que "o passado é obstinado, ele não quer ser mudado". Logo, Jake terá que decidir entre a manutenção da realidade na qual vivemos e o amor.

Mais uma vez, SK soube muito bem como envolver seus leitores. Partindo para o surreal, ele nos descreve com muita fidelidade a vida nos EUA em 1958 e o que poderia acontecer caso Kennedy não tivesse sido assassinado. A riqueza nos detalhes é tamanha que chega a impressionar, bem como as formas que o passado procura evitar que Jake atinja seu objetivo-mor. O final é surpreendente.

Serviço
Livro: Novembro de 63
Autor: Stephen King
Páginas: 736
Data de publicação: 2013
Editora: Suma de Letras
Preço médio: R$ 39
Nota: 

Nenhum comentário:

Postar um comentário