3 de novembro de 2014

Resenha: O duque e eu - Julia Quinn


O livro O duque e eu, o primeiro de 8 da série Os Bridgertons, de Julia Quinn é um romance de época que prende o leitor do início ao fim. Ainda não tinha lido nenhum livro da autora, mas conhecia a fama dela.

Simon Basset é conde de Clyvedon e filho do duque de Hastings. A relação dos dois nunca foi boa, pai e filho não se davam bem e a mãe de Simon havia morrido no parto. Após diversas tentativas, a duquesa de Hastings havia conseguido gerar um herdeiro para o trono, mas acabou falecendo. 

O duque de Hastings não aceitava a gagueira do filho e este foi o motivo da rejeição por longos anos. Quem o questionava sobre a criança, ele dizia que estava morta.

Anos se passam e o duque de Hastings morre. Simon, após um longo período de viagens, retorna a Londres. E, conciliado a este momento, a família Bridgertons é apresentada a história, composta por 10 membros (falecido pai, mãe e 8 filhos).

Daphne Bridgerton se encontra na idade de se casar, e sua mãe, Violet Bridgerton começa a apresenta-la para todos os rapazes da sociedade. Por sorte, Daphne conta com a ajuda do irmão mais velho, Anthony, que a auxilia na dispensa de homens que ela não considera aptos para ser um bom marido.

Simon, o novo duque de Hastings (que é também melhor amigo de Anthony) e Daphne se esbarram em um dos bailes, que um das famosas ladys de Londres promovia. À partir daí, a história toma um rumo maravilhoso. Querendo ficar longe das mulheres, que estão em cima dele, e pelo fato de não pretender se casar ou ter filhos, o duque propõe a Daphne que ele finja estar cortejando ela. Daphne aceita esta proposta, acreditando que assim poderia manter pretendentes não aptos longe e atrair novos, uma vez que estaria saindo com o duque.

Os dois começam a desenvolver uma amizade, passeiam juntos, trocam conversas, risos e acabam, sem perceberem, se apaixonando um pelo outro. Mas muitas são as barreiras que aparecem para impedir este romance. Daphne sonha com uma família, com filhos e tudo mais. Já Simon, não enxerga o futuro assim, mas tem sentimentos fortes por ela. 

 “Eu quero um marido. Uma família. Não é tão bobo quando se pensa nisso. Sou a quarta de oito filhos. Só conheço famílias grandes. Não sei se saberia existir fora de uma.” (Daphne Bridgerton)

O livro se desenvolve nesse conflito. Daphne e Simon vão descobrindo juntos o amor, a partir de uma bela amizade, e percebem que um não pode ser feliz sem o outro.

A autora conseguiu situar bem a época em que a história acontece, tanto o cenário, quanto as roupas e os costumes. A sutileza, o cuidado e a forma de detalhar o que está acontecendo com casal faz com que a leitura seja rápida, gostosa e prazerosa. O leitor se emociona quando tudo está caminhando bem e fica aflito quando as coisas parecem não se resolver.

O que também deu um toque diferenciado ao livro foi que, no começo de cada capítulo, uma escritora de um jornal de fofocas da cidade sempre comentava sobre os acontecimentos naquela comunidade, e a maioria deles envolvia o casal.

Julia Quinn consegue unir personagens, cenário, problema, amor, desejo, conflito e cenas quentes em um livro que conquista quem está lendo e desperta a vontade tremenda de chegar ao final, para saber se no fim, tudo vai ficar bem. Contudo, ao terminar o livro, a vontade é de que a história pudesse continuar. É um livro tão apaixonante quanto o casal que é descrito. Já quero ler os próximos livros e me encantar com esta série.
 
Serviço
Livro: O duque e eu
Autora: Julia Quinn 
Páginas: 281
Data de publicação: 2013
Editora: Editora Arqueiro
Preço médio: R$ 20

Nenhum comentário:

Postar um comentário