1 de novembro de 2014

Notícia: J.K. Rowling lança novo conto no Pottermore


A autora de Harry Potter, J.K. Rowling lançou no dia de Halloween um novo conto no Pottermore. Desta vez a escritora resolveu contar um pouco mais sobre a história de Dolores Umbridge.

Confira abaixo o texto traduzido por Nelson Filho:

Dolores Jane Umbridge é a mais velha e única filha do casal Orford Umbridge, bruxo, e Ellen Cracknell, trouxa, que também teve um Aborto. Os pais de Dolores foram infelizes no casamento, e ela secretamente os desprezava: Orford por sua falta de ambição (ele nunca foi promovido, e trabalhou no Departamento de Manutenção Mágica no Ministério da Magia) e sua mãe, Ellen, por sua leviandade, desleixo e linhagem trouxa. Ambos, Orford e sua filha, culparam Ellen pela falta de habilidade mágica do irmão de Dolores, e como resultado, quando Dolores tinha quinze anos, a família separou-se, Orford e Dolores ficaram juntos, e Ellen fugiu para o mundo dos trouxas com seu filho. Dolores nunca mais viu sua mãe ou seu irmão, nunca falou nada sobre eles, e dai em diante ela fingiu para todos que era nascida em uma família de puro-sangue.

Como seu desejo, Dolores entrou para o Ministério da Magia logo após sua saída de Hogwarts, tendo como emprego um humilde cargo de estagiária no escritório da Seção de Controle do Uso Indevido de Magia. Mesmo aos dezessete anos, Dolores era crítica, preconceituosa e sádica, apesar de sua atitude correta, sua forma açucarada de tratar os seus superiores e da crueldade e discrição com que ela assumiu o crédito pelo trabalho de outras pessoas e logo ganhou promoções. Antes que tivesse trinta anos, Dolores já havia sido promovida a Chefe do escritório, e foi apenas um pequeno passo de lá para cargos cada vez mais altos na gestão do Departamento de Execução das Leis da Magia.

A esta altura, ela tinha convencido seu pai a aposentar-se mais cedo, oferecendo um pequeno subsídio financeiro, garantindo que ele saísse fora de vista discretamente. Sempre que ela foi indagada (geralmente por colegas de trabalho que não gostavam dela) "Você é parente daquele Umbridge que enxugava o chão por aqui?" ela dava o sorriso mais doce que tinha, ria, e negava qualquer ligação, alegando que o seu falecido pai tinha sido um distinto membro da Suprema Corte. Havia uma tendência de acontecer coisas desagradáveis com as pessoas que perguntaram sobre Orford, ou qualquer coisa que Dolores não gostava de falar sobre, e as pessoas que queriam que o seu lado bom permanecesse fingiam acreditar na versão de sua ancestralidade.

Apesar de seus melhores esforços para conseguir o afeto de um dos seus superiores (ela nunca se preocupou particularmente a qual deles era, mas sabia que o seu próprio status e a sua segurança seriam acrescidas com um marido poderoso), Dolores nunca conseguiu se casar. Enquanto eles valorizavam o seu trabalho duro e ambição, aqueles que a conheciam a fundo dificilmente gostavam muito dela. Após uma taça de xerez doce, Dolores sempre foi muito propensa a jorrar visões não muito caridosas, e mesmo aqueles que eram anti-trouxas acabavam chocados com algumas das sugestões de Dolores, a portas fechadas, para o tratamento que a comunidade não-mágica merecia.
Como ela teve uma infância difícil, e subiu para altos escalões dentro do Ministério, o gosto de Dolores em pequenos acessórios de menina cresceu mais e mais ao longo do tempo; seu escritório tornou-se um lugar cheio de babados e rendas, e ela gostava de qualquer coisa decorada com gatinhos (embora quando encontrava-se com um ela ficava inconvenientemente confusa). Como o Ministro da Magia, Cornélio Fudge, tornou-se cada vez mais ansioso e paranoico que Alvo Dumbledore tinha ambições para substituí-lo, Dolores conseguiu trilhar seu caminho para o coração do poder, alimentando tanto a vaidade de Fudge quanto os seus medos, e apresentando-se como uma das poucas pessoas em que ele podia confiar.

A nomeação de Dolores como Inquisitora de Hogwarts deu escopo completo, pela primeira vez em sua vida, para seus preconceitos e sua crueldade. Ela não gostava dos seus tempos de escola, onde ela havia sido esquecida para exercer todos os cargos de responsabilidade, e adorou a chance de voltar e exercer o poder sobre aqueles que não tinham (algo que somente ela viu) lhe dado o que lhe era de direito.

Dolores tem o que equivale a uma fobia de seres que não são muito, ou totalmente, humanos. Seu desgosto com o meio gigante Hagrid, e seu terror com os centauros, revelam o seu pânico do desconhecido e selvagem. Ela é uma pessoa extremamente controladora, e todos os que desafiam sua autoridade e seu ponto de vista devem, em sua opinião, serem punidos. Ela gosta ativamente de subjugar e humilhar os outro, e, exceto em suas alianças declarados, há pouco a escolher entre ela e Bellatrix Lestrange.
O tempo de Dolores em Hogwarts terminou desastrosamente, pois ela excedeu as ordens que Fudge lhe dera, pisando fora dos limites da sua própria autoridade, levada por um sentimento fanático por conta própria. Abalada, mas não arrependida depois de um fim catastrófico de sua carreira em Hogwarts, ela voltou para um Ministério que tinha sido mergulhado em uma forte turbulência, devido ao retorno de Lord Voldemort.

Na mudança de regimes que se seguiram após a renúncia forçada de Fudge, Dolores foi capaz de voltar para o seu antigo cargo no Ministério. O novo ministro, Rufus Scrimgeour, teve problemas mais importantes para se preocupar do que com Dolores Umbridge. Scrimgeour foi posteriormente punido por esse descuido, porque o fato de que Ministério nunca tenha punido Dolores por seus muitos abusos de poder deu a impressão para Harry Potter que havia uma complacência e que houve um grande descuido. Harry considerou que o fato de Dolores continuar no seu emprego, e a falta de quaisquer repercussões do seu comportamento em Hogwarts, um sinal de corrupção por parte do Ministério, e se recusou a cooperar com o novo ministro por causa disso (Dolores é a única pessoa, além de Lord Voldemort, que deixou uma cicatriz física permanente em Harry, por forçar o mesmo a escrever a frase "Eu não devo contar mentiras" na parte de trás da sua própria mão durante uma detenção).

Dolores aproveitou a vida no Ministério mais do que nunca. Quando o Ministério foi assumido pelo ministro fantoche Pio Thicknesse, e infiltrado por seguidores do Lorde das Trevas, Dolores estava no seu verdadeiro lugar. Corretamente julgada, por altos Comensais da Morte, por ter muito mais em comum com eles do que ela já teve com Alvo Dumbledore, ela não só manteve seu posto, mas foi dado a ela autoridade extra, tornando-se chefe de Comissão de Registro dos Trouxas, que era na verdade um tribunal que rapidamente aprisionava todos os nascidos trouxas com base no fato de terem "roubado" as varinhas e a magia dos bruxos.

Foi quando ela estava a frente do julgamento de mais uma mulher inocente, que Harry Potter finalmente atacou Dolores no coração do Ministério, e roubou a Horcrux que ela estava usando inconscientemente.

Com a queda de Lord Voldemort, Dolores Umbridge foi levada a julgamento por sua cooperação entusiasmada com seu regime, e condenada por tortura, prisão e morte de várias pessoas (alguns dos inocentes nascidos trouxas que ela condenou à Azkaban não sobreviveram a sua pena).

Nenhum comentário:

Postar um comentário