18 de julho de 2014

Opinião: A vida não seria a mesma sem os livros



Desde criança, somos estimulados a ler. Se não por nossos pais, por nossos professores. Quando crescemos, o tipo de leitura muda, das infantis para as de livros didáticos. Na faculdade, o nível de leitura é mais exigente, por isso é bom gostar de ler e ter muita atenção.

Eu, particularmente, não consigo entender aqueles que dizem não gostar de ler. Afinal de contas, a leitura nos faz “fugir” dos problemas e preocupações. Mergulhamos num mundo completamente novo, no qual é importante que tenhamos – muita – imaginação.

Adoro imaginar os cenários, os personagens, suas vozes… Enfim. Sem contar que a leitura é muito importante para a formação intelectual e linguística de alguém. A ampliação do vocabulário se faz por eles, que também nos dão ricas e valiosas informações sobre nosso passado. Por exemplo, o autor americano Dan Brown escreve seus livros misturando história com ficção. Mais uma forma de aprendermos. O fato é: a leitura é muito importante para a nossa saúde mental, especialmente quando não somos obrigados a fazê-lo.

Acho engraçado quando me deparo com personagens que são amados e, de repente, o autor faz algo com ele que não achamos que deveria ter acontecido. Ou ainda, quando as próprias figuras da ação “fazem” algo de estúpido, e ficamos com vontade de dar uma bronca nele, mesmo sabendo que nada disso é real. Harry Potter é um grande exemplo disso, no qual a autora J.K. Rowling matou vários personagens considerados importantes e fez com que Harry tomasse atitudes infelizes. Mesmo assim (ou por conta disso), ela tornou essa obra um sucesso mundial. Vale frisar que aqueles que tornam estes mundos mágicos possíveis – os autores – também têm um trabalhão.

Afinal, não basta apenas que eles imaginem a estória. É necessário, após a estruturar muito bem no papel, que ele consiga vende-la para as editoras, assim como um jornalista tem que vender uma pauta para o seu editor. Mas, muitas vezes, essas empresas complicam a publicação, demorando muito para ela sair e cobram muito dinheiro por isso. O trabalho de divulgação também não é fácil, mas o resultado final – o de ter sua obra admirada por milhões de fãs – é o que mais recompensa todo o sacrifício. É por essas e outras que, como minha namorada disse recentemente (e eu concordo plenamente), “a vida não seria a mesma sem os livros”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário